BELÉM E SEUS FAMOSOS PASTÉIS

quarta-feira, outubro 16, 2019


No post anterior falamos um pouquinho sobre nossa chegada em Lisboa. Que cidade gostosa de passear!

Segundo dia em Lisboa e fomos fazer o quê? Visitar o Bairro de Belém! Com certeza um lugarzinho obrigatório para ir, onde fica a Torre de Belém, os Pastéis de Belém, Mosteiro dos Jerônimos, o Padrão dos Descobrimentos e o MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia). Andamos até...

Começo falando do meu look e dando uma dica que não pode faltar na mala: blusa preta. Gente, como é uma peça curinga! Usei muito durante a viagem, vai com tudo! O legal é que é uma peça que não marca, então você pode usar em diferentes looks e propostas sem mostrar que "está usando a mesma roupa". Isso vale também para um body preto, como é o que estou usando na foto. Hehe...

Combinei com uma bermudinha listada com traços navais (corda está com tudo) e tênis branco super confortável. Sim, tênis foi o calçado da viagem. Viajei com um esportista e trouxe mais 2: esse branquinho e o preto de ontem. E revesando eles, mais uma sandalinha (que mostrei no post de Casablanca), foi o que usei em 23 dias de andanças.


Que delícia foi visitar os cartões postais de Lisboa! Assim eu chamaria o bairro de Belém, aquele lugar que fica no imaginário da gente quando nos referimos à capital de Portugal. Uma curiosidade, Belém antigamente não pertencia a Lisboa, fica a uns 6 Km do centro da capital. A praia de lá era o lugar mais seguro para atracar no Rio Tejo, então lugar onde normalmente saiam e chegaram as caravelas. O Rei D. Manuel manda construir uma torre para proteger a cidade, e mais tarde para comemorar os descobrimentos de Vasco da Gama, o Mosteiro dos Jerônimos.

Assim, o lugar que se chamava de Rastelo começa a prosperar e vai, aos poucos, se integrando à cidade de Lisboa e passa a se chamar Belém. Na verdade, Santa Maria de Belém, hehe... uma homenagem à Virgem Maria.

Foi deste lugar que no dia 9 de março de 1500 zarpou Dom Pedro Alvares Cabral para encontrar um novo caminho às Indias, e acabou descobrindo o Brasil. 


A região é toda linda demais! Vale a visita.

Começamos o passeio pedindo para o taxi nos deixar na Torre de Belém e fomos andando até o MAAT, onde pedimos outro taxi. São 2 Km e pouquinho em linha reta, uma meia hora de caminhada direta. Mas a gente adentra pra ver o Mosteiro dos Jerônimos, comer os Pastéis de Belém... e acaba andando mais que isso. E o que pode levar, tranquilamente um meio dia inteiro. (Isso que não entramos em nenhum monumento).

Dica 1: taxi em Lisboa é mais barato que Uber e que a Europa toda. Pode usar sem medo!

Dica 2: segunda-feira todos os monumentos estão fechados. Então, se quiser subir na torre de Belém ou entrar no Mosteiro dos Jerônimos, programe-se!


Almoçamos pertinho do lugar que vende os tradicionais pastéis de Belém (que claro, fica no bairro Belém, né?) e é perto do Mosteiro dos Jerônimos também. É só ir digitando no Google Maps que você acha tudo com a maior facilidade.

Pedimos um prato de brócolis pro Pedro e ele amou! Hahaha...

Quem gosta de peixe, Lisboa é um prato cheio! Há opções deliciosas de bacalhau às natas (prato eleito um dos melhores da viagem pelo grupo). Eu não como peixe, então fiquei nas outras opções e também comi bem. Mas via os comentários e caras de satisfação na família comedora de peixe. Hehe... Pedro também comeu bastante peixe e adorou! 

Antes de viajar eu sabia que não conseguiria cozinhar todo dia pro Pedro então fui ao médico e ele liberou o sal com 10 meses. Assim, Pedro comeu com a gente e se esbaldou provando muita coisa (menos doce). Foi bem tranquilo!


Enfim os famosos Pastéis de Belém. Que deliciosos são! A confeitaria parece pequena quando você chega (a fila sai pra fora). Mas por dentro ela é enormeeee. Faça assim: deixe uma pessoa na fila e entre para sentar em uma mesa. Vai ver que o lugar é um labirinto cheio de salas. Hehe... Os pastéis você pede na entrada e as bebidas (cafés) na mesa. É aquele lugar obrigatório (não pode deixar de ir).

Comemos Pastéis de Nata em outras padarias, também muito gostosos. Então, não fique com receio de comer em outros lugares, porque o doce é bom pra caramba! Hahaha.


Pedro não provou os Pastéis de Belém, porque decidimos segurar de dar doce pra ele até os 2 anos (ou ao menos próximo aos 2 anos). Mas ele se divertiu!


Continuando o passeio... agora de barriga cheia! Andamos até o MAAT. Não entramos no Museu, mas eu queria muito ver a arquitetura do espaço, que tinha visto pela internet e queria conferir. Sou apaixonada por arquitetura, é algo que realmente me chama a atenção e que eu sempre observo bastante.

A arquitetura do MAAT é incrível!!! Gente do céu, me impressionou de verdade!

Ficamos um tempo sentados ali na escadaria, recuperando as forças, dando frutinha pro Pedro. Fomos ao banheiro e enfim, pedimos um taxi que nos levaria até um shopping porque queríamos ir na Primark. Lá ficamos até a noite e voltamos pro hotel.


Que dia!

Acabamos ficando no shopping, jantando por lá e fazendo comprinhas... Foi um dia muito gostoso, onde vimos muita coisa legal e aproveitamos bastante! O bairro de Belém foi nosso queridinho. Com certeza, numa próxima viagem à Lisboa, faria tudo de novo. 

Gostaram?

Amanhã tem mais...

Beijos e até o próximo post.
Priscila Schulz


acho que vai gostar desses posts:

4 comentários

  1. Que imagens lindas!
    Lisboa é uma optima cidade :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Uma cidade lindaaaa... com certeza lugarzinho que vale a pena ir e voltar. Hehe Beijos

      Excluir
  2. Olá, Priscila!

    Estou adorando ler sobre sua viagem. Até agora, deu a maior vontade de visitar cada cantinho que você visitou. Sou descendente de portugueses e o meu sonho á visitar a Santa Terrinha deles.

    Gostaria de saber se a adaptação do Pedro ao fuso horário. Ele chegou a ficar irritado? Quero levar meus pimpolhos mas estou receosa quanto a isso.

    Aguardo ansiosa por sua resposta.

    Beijos e até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Bora viajar que é muito gostoso. Vai amar Portugal!

      A adaptação do Pedro foi bem tranquila, ele passava bem os dias, gostou da comida, enfim... deu bem menos trabalho do que eu imaginei. O fuso na ida foi mais fácil de acostumar na ida, que na volta. Desde o primeiro dia observamos o horário local (alimentação, banho) e deu certo!

      Não fique receosa, vai ser ótimo!!! Hehe

      Beijão

      Excluir

"Adoro receber seus comentários, eles enriquecem o conteúdo do blog e me deixam muito feliz."
Muito obrigada pelo seu comentário!
Priscila Schulz